Thursday, 21 March 2013

Curso Online: "Druidismo: Origens, Evolução e História "

curso online Druidismo & Espiritualidade Celta
(Módulo II)


As Inscrições para a aula aberta devem ser feitas pelo email:

femininoessencial@gmail.com




Inscrições para o curso devem ser feitas no link:

http://bazardaraposa.tanlup.com/product/638365/curso-online-em-web-conference-druidismo-espiritualidade-celta-modulo-ii

Wednesday, 13 March 2013

GLÓR - shows de IRISH MUSIC no próximo fim de semana

Com a chegada do St. Patrick's Day 2013, orgulhosamente lançamos nosso novo trabalho musical:

GLÓR FOLK / IRISH MUSIC

Criada por CLAUDIO CROW e MARI ARAUJO e com a participação de NORTHON KINJO, a GLÓR tem o objetivo de apresentar o que há de melhor nas CANÇÕES TRADICIONAIS IRLANDESAS, explorando a riqueza de arranjos vocais, temperando com elementos do folk rock moderno.

VENHA NOS CONHECER AO VIVO!

Nos dias 16 e 17 de março, serão quatro shows em quatro casas diferentes em São Paulo - confira na imagem:


Friday, 8 March 2013

MULHERES



NASCI DE UMA GUERREIRA QUE, como muitas em sua geração, enfrentou no escuro, sem guia nem manual de instrução, as mudanças que a mulher dos 1980 alcançava. Com o divórcio, cuidou sozinha de educar e passar valores a um adolescente cabeludo e rebelde...

Olho em casa e vejo que minha irmã - sete anos mais velha - repetiu o roteiro, educando sozinha minha sobrinha - hoje uma mulher de 18 anos. Juntas, deixaram o 'conforto' da cidade e foram morar no campo, no mato, onde enfrentam todo tipo de privação e restrição em nome de seu ideal de vida e seu amor pelos animais...

Assim como fizera nossa avózinha portuguesa, pioneira que deixou todo um mundo para trás e atravessou o Atlântico em busca de seu destino.

Sofredoras, essas mulheres do clã: a irmã de minha mãe atravessou três vezes esse mesmo Atlântico, passou privações e enfrentou com coragem o câncer - o mesmo que antes já levara a irmã, minha mãe. E nenhuma delas jamais perdeu o sorriso ou a ternura!

Talvez por isso eu tenha quase sempre me apaixonado por mulheres fortes; e seguramente por tudo isso - por testemunhar desde a infância a gana dessa mulherada valente em minha casa - que já na adolescência eu espiritualmente não me satisfazia com um "pai celestial" - minha Alma buscava uma Mãe - ctônica, telúrica, tangível, mágica, real. Como toda mulher pode ser.

Não por acaso, meu primeiro livro, escrito aos meus 30 anos, aborda o DIVINO FEMININO.



Não por acaso, a Alma que mais me entende neste mundo é a de quem até hoje se dedica com devoção a esse mesmo Feminino, uma mulher a quem conheço desde a adolescência, que já foi namorada, esposa e agora é irmãzona.

Não por acaso, conheci uma menina que vi virar mulher quando me deu uma filha - mais uma mulher em minha vida! - e que depois de nossa separação respeito ainda mais pela mãe que se tornou.

E claro, minha filha é a soma de todas essas GRANDES MULHERES DE MINHA VIDA... Um pouco de minha avó portuguesa, de minha irmã, minhas 'ex'... e obviamente há muito do Divino Feminino na pequena Donzela, a 'Kore' que recentemente encantou-se com a romã que cresceu em nosso quintal.

Tive ainda mulheres como chefes, professoras, colegas de estudo e trabalho - mulheres queridas, marcantes instrutoras as mais adoráveis...

Foi uma professora que me fez despertar para a política, foi outra professora que me fez amar o idioma inglês e outra mais que me inventou professor...

Poderia citar ainda a (para mim ultra feminina) Sampa, que tanto amo e a quem carinhosamente chamo de "Velha Louca"...
E a Terra Brasilis - que, como a 'caetanear', repito, "não quero pátria, eu quero Mátria..."

Mas claro, há ainda as mulheres que amei e desejei - dezenas de mulheres que me asceleraram o coração e tiraram o fôlego, por quem fiz mil loucuras e perdi o sono e o juízo. Das 'musas' idealizadas às paixões avassaladoras, das amigas carinhosas àquelas por quem nutri o mais autêntico bem querer - inclusive aquelas que, mesmo pela dor do 'não', me ensinaram a diferenciar e compreender as verdadeiras dimensões do amor e da paixão.

Por tudo isso, vou dizer com facilidade que AMO AS MULHERES - afinal, elas fazem de mim quem eu sou.

E não, não vou desrespeitá-las com flores ou bombons - até porque a data em questão não é para meros mimos, mas sim para honrar as que lutaram e lutam - por vezes com a própria vida - pela óbvia igualdade de direitos.

Não, nada de flores ou bombons - se há um presente que eu julgo digno de vocês é reconhecer o seguinte:

Todas as emoções, ideias, angústias, dores, questionamentos e buscas que o convívio com vocês me causou são o Elixir divino que cura, nutre, forma e restaura minha Alma.

Da minha mais remota Ancestral Feminina às sementes que o futuro fará germinar nos ventres de minha filha e das filhas dela, das grandes guerreiras, deusas e heroínas que povoam os mitos e nutrem nossas almas, a todas as mulheres de minha vida a minha honesta e sincera gratidão: sem vocês, meu mundo seria opaco, oco, fosco, tosco, morto.

Claudio Quintino Crow, 08/03/2013


(Pintura: Mary Cassatt)