Wednesday, 19 December 2012

NADA SUPERA O PODER DA PALAVRA


NADA SUPERA O PODER DA PALAVRA

"English Prime" - ou 'E-Prime' - define uma teoria linguística postulada por David Bourland Jr. que consiste em ABOLIR o uso do verbo 'to be' (ser, estar). 

Mais do que meramente um estilo, o "E-Prime" propõe uma mudança radical na forma de nos expressarmos: sem os verbos "ser" e "estar"  fica impossível definir algo como absoluto, o que corrobora com a percepção de que a experiência individual, pautada nos sentidos de cada um, varia de pessoa para pessoa, tornando impossível uma padronização absoluta sobre o que quer que seja. Na imagem, a primeira frase evidencia a ênfase na experiência pessoal do emissor, e a qualidade do livro em questão agora depende da sua apreciação, de seu julgamento - que obviamente pode mudar de pessoa para pessoa.

Num mundo como o nosso, em que cada vez mais nos mostramos cada vez menos capazes de nos expressarmos livres da influência externa do 'senso comum', a valorização da opinião individual traz um frescor de pensamento muito saudável e renovador.


Se isso parece um tanto inútil na segunda frase da imagem, pense na mudança que o "E-Prime" promove em frases como "isso É impossível" ou "eu SOU um fracasso." Sem o verbo ser, "isso parece / me soa impossível" - e nunca ninguém SERÁ um fracasso,  mas terá fracassado naquela empreitada ou num dado momento. Resgata-se o poder se recuperação, elimina-se a vitimização absoluta.

Ao valorizar a experiência individual, o uso do "E-Prime" fortalece o sujeito (todos nós), eliminando do mundo que nos rodeia os equivocados conceitos de 'inevitabilidade' e 'imutabilidade' e enaltecendo nossas opiniões - estas, por sua vez, derivadas de nossas experiências sensoriais, como indica a segunda frase na imagem. Ao mesmo tempo, quando relativizamos nossa percepção / opinião sobre as coisas, respeitamos as percepções / opiniões dos outros.

Nenhuma discussão de casal, briga de trânsito ou reunião de trabalho teria as mesmas conseqüências sem as assertivas - e por vezes belicosas - frases absolutas do tipo "você ESTÁ errado", "eu SOU a vítima", "minha ideia É a melhor"...

Se Ambrose Bierce tem razão ao definir a lógica como "a arte de pensar e raciocinar de acordo com as limitações e incapacidades da incompreensão humana", uma mudança de paradigmas como a proposta pelo emprego do E-Prime pode ampliar o alcance de nossa lógica justamente por alterar os limites e a capacidade de nossa expressão, liberta de absolutos impessoais.

O Filólogo britânico JRR Tolkien afirmou certa feita que, "por sua capacidade de alterar e qualificar os objetos, não há forma de magia superior ao adjetivo" - a proposta do E-Prime vai além nessa percepção.

Nada supera o poder da Palavra.

© 2012, Claudio Quintino Crow Proibida a reprodução total ou parcial deste texto sem a expressa autorização prévia do autor. LEI Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998. Respeite a criação.





E sim, este artigo emprega o princípio do E-Prime: não há nele nenhuma flexão dos verbos 'ser' ou 'estar'.

No comments:

Post a Comment